Hoje é 25 de Setembro de 2017
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Investimento em Segurança e Saúde contribui para redução dos tributos do FAP/NTEP, diz engenheiro do Sesi-MT
Em: 31/08/2017 às 17:06h por Assessoria de Comunicação - Sistema Fiemt

Foto

“As indústrias pagam tantos impostos e acabam pagando um alto valor também no FAP/NTEP sem entender de fato como ele funciona. Com investimentos em Saúde e Segurança no Trabalho a alíquota pode reduzir pela metade o valor a ser pago no imposto sobre o RAT (Risco Ambiental no Trabalho)”, explica o engenheiro de Segurança do Serviço Social da Indústria (Sesi-MT), Kengiro Suezawa. Ele ministrou a palestra ‘Gestão do FAP/ NTEP: como transformar em receita e lucratividade os investimentos em SST da sua empresa’ nesta quarta-feira (30/08), durante o Protege – Seminário de Segurança e Saúde, que reuniu mais de 200 pessoas em Cáceres. 

Conforme abordado durante a palestra, o Fator Acidentário de Prevenção (FAP) afere o desempenho da empresa, dentro da respectiva atividade econômica, relativa aos acidentes de trabalho ocorridos num determinado período. Já o Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP) é o mecanismo que relaciona determinada doença às atividades na qual a ela ocorre com maior incidência.

De acordo com Suezawa, quando as indústrias investem em Segurança e Saúde no Trabalho o resultado é a redução do índice de doenças e acidentes no trabalho. “Com isso, as indústrias reduzem o pagamento para o FAP/NTEP e podem reinvestir no próprio negócio. Por isso, a gestão dessas informações deve fazer parte das ações estratégicas das empresas”, destaca.

Para Júlio César Parreira Duarte, proprietário de autocenter, a palestra contribui para que conhecesse mais detalhadamente a cobrança do FAP/NTEP. “O seminário é de grande valia aos empresários, para que possam alertar os contadores sobre essa possibilidade de reduzir os custos com os impostos. Até já falei com contador da empresa para que ele analise e pesquise sobre o FAP/NTEP, para que possamos utilizar as ferramentas existentes”.

Quando soube dos temas que seriam abordados pelo Protege, Heloisa Santiago, que trabalha no RH de um frigorífico em Cáceres, quis participar para entender melhor como funcionará o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), tema da segunda palestra do seminário, abordado pelo fisioterapeuta e ergonomista do Sesi-MT, Carlos de Oliveira. “Já tinha lido um pouco sobre os dois assuntos, mas ler é uma coisa, ouvir a pessoa que conhece explicar é diferente. Agora é a minha vez de repassar para a empresa o que aprendi hoje, principalmente sobre o eSocial, que em breve estará em funcionamento”, conclui.

Cáceres foi a quarta cidade a receber o Protege, que também já passou por Cuiabá, Rondonópolis e Sinop. O evento teve apoio dos sindicatos empresariais industriais da Alimentação (SIA-Cáceres), Construção (Sinduscom-Sudoeste) e Metalúrgica (Sindimec-Cáceres). Para o presidente do Sinduscom-Sudoeste, Helton Ourives, o seminário foi de grande relevância e, certamente, contribuirá para o desenvolvimento das indústrias. 

Em outubro é a vez de Juína e região participarem do seminário, marcado para o dia 04/10. As inscrições estão abertas e podem ser feitas online ou pelo telefone (66) 3566-2273. O evento será realizado no Sicredi Univales, localizado na Avenida Mato Grosso, 390, Centro. ‘O eSocial seus impactos na gestão de SST’ e  ‘A gestão do FAP/NTEP: como transformar em receita e lucratividade os investimentos em SST da sua empresa’, são as temáticas escolhidas para debate na cidade.


Confira a galeria de fotos aqui.

Imprimir   Enviar por e-mail  

Recomendar no Facebook

 

Sistema FIEMT / SESI-MT - Serviço Social da Indústria
Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 4.193 - Centro Político Administrativo
Cuiabá - MT / CEP 78049-940 | Fone: (65) 3611-1500 / 3611-1555